sexta-feira, 30 de abril de 2021

Sagas parte I: Maze Runner


  Há muitas sagas com histórias fantasiosas incríveis e que merecem ser mais reconhecidas. Seja por uma história bem construída, por personagens bem desenvolvidos ou para aqueles e aquelas que apenas gostam de uma boa ficção e mergulhar em seu universo (até porque a opinião do leitor/espectador devem ser levadas em conta para a realização de algumas peças chave da obra). E uma dessas sagas fantasiosas que merecem uma atenção será nosso tema de hoje.

  Maze Runner é uma série de filmes baseado nos livros de James Dashner, sua primeira publicação foi no ano de 2009.

  Nossa jornada começa quando o jovem Thomas se encontra em um elevador escuro subindo para algum lugar, o que deixa nosso protagonista confuso já que não se recorda de ter entrado nele e nem nada antes disso, apenas sabia seu nome. Após a máquina parar ele consegue ver uma luz e ao redor várias sombras em burburinho. E um deles, Gally (ou valentão como eu prefiro chamar) ajuda Thomas a sair de lá.

  Ele observa ao seu redor e o local lhe é completamente desconhecido, (algo parecido como uma pequena fazendinha) qual os garotos que habitam lá chamam de Clareia. Thomas ainda cheio de dúvidas falam com dois dos primeiros clareanos que habitavam lá, Alby (o líder) e Newt (eu chamo de namorado do Thomas), mas não consegue muitas respostas, já que aparentemente todos os clareanos chegaram assim que nem Thomas apenas sabendo seus respectivos nomes, e o que sabem não contam a Thomas.

  O que Thomas sabe é que cada um tem a sua função na Clareia, por exemplo um grupo cuida das plantações, outro do abatedouro etc, mas há um grupo em específico qual se denominam corredores, eles são responsáveis por entrar no labirinto atrás dos muros da Clareia em busca de uma saída. O labirinto é um tipo de quebra-cabeça, pois suas paredes se movem dificultando a volta dos clareanos e dificultando ainda mais encontar a saída de lá. Além dessa "pegadinha" do labirinto, eles escondem criaturas robóticas, chamadas Verdugos. Ambos esses são motivos suficientes para que poucos clareanos participem desse grupo (só o Thomas mesmo que quer entrar nesse grupo, sabe como é protagonista né?)

  Enfim, depois do Ben, um corredor que foi picado por um verdugo, atacar Thomas, o clareano foi mandado para o labirinto, para testar se ele sobreviveria. E após ver que Alby e Minho (líder do grupo de corredores) entraram no labirinto atrás de Ben, Thomas questionou Newt que defendeu as causas do Alby fazer isso. Quando estava quase na hora dos muros do labirinto se fecharem e nenhum dos clareanos verem minho ou Alby, eles ficaram eufóricos. Até o muro começar a se fechar e Minho e Alby, ferido e sendo carregado, estarem a vista, mas não daria tempo de chegarem a Clareia. Nisso o que Thomas fez? Entrou no labirinto (parabéns, mertila), na tentativa falha de tirar os dois de lá.

  Após isso foi só dedo no olho e gritaria. Mas a saga realmente merece sua atenção se você é amante de uma boa ficção. Sem contar no desenvolvimento dos personagens no decorrer da saga que é bastante significativa.