quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Podcast Os Diferentões 05 - Independência




O que a palavra “Independência” te recorda? O rio do Ipiranga? Um homem montado a cavalo? “Independência ou morte”? (Só uma nota aqui, essa frase é um tanto quanto idiota se parar para pensar, porque se a coroa portuguesa ouvisse uma coisa dessas, iria ser um massacre na certa. Caso não desse a independência, haveria morte, Dom Pedro vacilou nessa frase).

De acordo com o titio Google: é o estado, condição, caráter do que ou de quem goza de autonomia, de liberdade com relação a alguém ou algo. Mas é apenas isso?

  

Contexto histórico


Como aprendemos nas aulas de história, o Brasil era dependente da coroa portuguesa, e não existia o voto popular já que, na época ainda não existia a República no país.


Dom João veio ao Brasil, por causa dos ataques de Napoleão, com sua esposa e filhos, cujo um deles seria responsável por essa grande conquista. Após se passar alguns anos, Dom João acabou tendo que voltar para Portugal, juntamente da esposa e do filho mais novo Miguel, pois o povo precisava de um líder (entre muitas aspas porque o cara foge quando o povo mais precisa). Com isso seu filho mais velho, Dom Pedro, fica como príncipe regente, ainda jovem.


Depois que se tornou adulto, Dom Pedro tomou a decisão de lutar pela independência do Brasil após a Revolução Liberal do Porto (1820). Tiveram uma complicação e a demora de um processo de dois anos. Até que no dia 7 de setembro de 1822 foi declarada a independência do país.


Curiosidade interessante:

  • Um período da história, D. Pedro fez uma viagem para São Paulo e Leopoldina, sua esposa, governou em seu lugar. (O que é interessante para a época, já que mulheres não possuíam poder ou voz).



O verdadeiro significado


Essa palavra pode ser interpretada de várias maneiras, sabemos que existe a independência física e emocional, mas podemos adicionar isso para o cotidiano.


Por exemplo, não fazer algo apenas porque mandaram e sim fazer por conta própria.


Independência por não precisar de alguém para fazer a própria felicidade, também é um bom exemplo, e entramos na independente emocional, por mais que nós sejamos seres sociáveis e emotivos, não significa que precisamos de alguém para sermos felizes.


Se quiser ver nosso debate sobre Independência acesse o nosso podcast: Os Diferentões.


icone do facebook Comentários
icone do blogger 0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário