sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Sobre a síndrome dos 20 e tantos anos


Na adolescência o pensamento é: "Quero ser adulto para ser mais independente", depois dos vinte: "Mamãe, o que está acontecendo?"

Por volta dos 16 a confusão começa, um desejo de liberdade e independência inexplicável invade o nosso ser e parece que ninguém entende o que se passa...

Sejamos sinceros, a verdade é que nem nós mesmos sabemos o que está acontecendo, como citei no post "Sobre a construção do seu reconhecimento" é uma explosão de pensamentos e sentimentos que assolam nossa cabeça.


Passamos por um inferno interior até alcançar a dita maioridade, o que é bom para alguns pois vem, carro, mais autonomia e uma certa adrenalina com os riscos da vida adulta, mas para outros o pesadelo só aumenta porque tem a decisão de qual faculdade seguir, arranjar um emprego, sair da casa dos pais ou não...

Muita coisa só nos 18, digamos que em 2 anos você já tenha tomado as decisões mais difíceis até o momento, a faculdade e o trabalho. Aproveita e confere o post em que falei Sobre o Complexo de Vira-Latas.

Aquele desejo de liberdade e independência continua forte no seu espírito, mas, a vida começa a ficar monótona e a pressão do trabalho e estudos vai reprimindo aos poucos aquilo que te motiva.

Acompanhe Os Diferentões nas redes sociais

      

Sua rotina impede que você saia com seus amigos o que interfere na quantidade de chances que você tem de conhecer uma nova pessoa e isso acaba por deixar um sentimento de solidão e vazio.



Quando finalmente você está ali nos primeiros degraus da sua escada da vida adulta, você se vê sozinho, num período em que a estabilidade se tornou realmente estática, sem cor, cinza...
O que resta é se esforçar para não ter nenhum problema relacionado a sentimentos intensos de mais. Pode ficar triste? Pode! Porém pense no que pode ser feito para dar a volta por cima. Tome um banho frio, dá uma volta, assiste um filme, chore, pense!

Quer uma dica? (pode ser clichê) Mas escute a música "Telegrama" de Zeca Baleiro (link na música). Depois disso é das duas uma: você melhora ou você chora mais ainda. Mas, como eu escutava muito nas manhãs da minha velha infância


 "O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã."


Somos jovens, temos muitas ideias e pensamentos que com toda certeza em algum momento entrarão em conflito. Isso é ruim? Não! Tudo acontece por um motivo, leve como experiência e viva!


Curtiu o assunto? Não esqueça de compartilhar com seus amigos.
Até a próxima!
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário